CAPOEIRA SUL DA BAHIA MESTRE RAILSON
   
  Escuela de Capoeira Sul da Bahia Contra Mestre Maxuel
  cancioneros
 

Cantigas de Capoeira

Sul da Bahia

Contra Mestre Maxuel

 

. Ladainha: Rei Zumbi dos Palmares

 CANTICAS DE DOMINIO POPULAR

 

A história nos engana

Diz tudo pelo contrário

Até diz a abolição

Aconteceu no mês de maio

A prova dessa mentira,

É que da miséria eu não saio

Viva vinte de novembro

Momento pra se lembrar

Não vejo em treize de maio

Nada pra comemorar

Muitos tempos se passaram,

E o negro sempre a lutar

Zumbi é nosso herói

Zumbi é nosso herói, colega velho,

Do Palmares foi senhor

Pela causa do homem negro

Foi ele quem mais lutou

Apesar de toda luta

O negro não se libertou, camará

 

2. Chula

 

Iê, é hora. É hora

Iê, é hora. É hora, camará

Iê, vamos embora

Iê, vamos embora, camará

Pela barra afora

Pela barra afora, camará

Iê, Viva meu Deus

Iê, Viva meu Deus, camará

Iê, Viva meu Mestre

Iê, Viva meu Mestre, camará

Iê, quem me ensinou

Iê, quem me ensinou, camará

 

3. Santa Bárbara

 

O Santa Bárbara que relampuê

O Santa Bárbara que relampuá

O Santa Bárbara que relampuê

Que relampuê, que relampuá

O Santa Bárbara que relampuê

 

4. Côco no Dente

 

Eu ví a cutia com côco no dente

Comendo farinha com cocada quente

Eu ví a cutia com coco no dente

com côco no dente, com côco no dente

Eu ví a cutia com coco no dente

Com chapeu de palha quebrado na frente

Eu ví a cutia com coco no dente

Comendo farinha, sorrindo pra gente

Eu ví a cutia com coco no dente

 

 

5. Tem Dendê, Tem Dendê

 

Tem dendê, tem dendê,

No jogo de Angola tem dendê

Tem dendê, tem dendê,

No jogo de baixo tem dendê

Tem dendê, tem dendê,

O toque de Angola tem dendê

Tem dendê, tem dendê,

 

 

6. Tim, tim, tim lá vai Viola

 

Oi, tim, tim, tim lá vai Viola,

Lelele lá vai Viola

Tim, tim, tim lá vai Viola

Oi lá vai Viola

Tim, tim, tim lá vai Viola

Esse jogo bonito é um jogo de Angola

Tim, tim, tim lá vai Viola

Viola meu bem Viola

Tim, tim, tim lá vai Viola

Olelelelele lá vai Viola

Tim, tim, tim lá vai Viola

Viola, violinha, viola

Tim, tim, tim lá vai Viola

Gunga medio e viola

Tim, tim, tim lá vai Viola

Viola, violinha, viola ,viola

Tim, tim, tim lá vai Viola

 

 

7. Saia do mar, Marinheiro

 

O iaia saia do mar marinheiro

O iaia saia do mar estrangeiro

Saia do mar, saia do mar, Marinheiro

Olele saia do mar marinheiro, saia do mar, marinheiro

Saia do mar, saia do mar, Marinheiro

O iaia saia do mar marinheiro

O iaia saia do mar estrangeiro

Saia do mar, saia do mar, Marinheiro

 

8. Ai, ai, ai, ai São Bento me chama

 

Ai, ai, ai, ai São Bento me chama

Ai, ai, ai, ai

São Bento chamou

Ai, ai, ai, ai

Me chamou pra jogar

Ai, ai, ai, ai

La na beira do Mar

Ai, ai, ai, ai

Arianha me puxa

Ai, ai, ai, ai

Me joga no chão

Ai, ai, ai, ai

Oi maltrate esse nego

Ai, ai, ai, ai

Conforme a razão

Ai, ai, ai, ai

São Bento me chama

Ai, ai, ai, ai

Oi São Bento me quer

Ai, ai, ai, ai

 

 

9. Ô Nêga que vende aí

 

Ô Nêga que vende aí, que vende aí, oi que vende aí

Ô Nêga que vende aí

É côco do norte que vem do Brasil

Ô Nêga que vende aí

Vende Arroz do Maranhão

Ô Nêga que vende aí

Que o senhor mandou vender

Ô Nêga que vende aí

 

 

10. Abalou Capoeira (Op de CD1 van GCAP: Abalou Cachoeira)

 

Abalou Capoeira, abalou

Mas abalou deixa abalar

Abalou, Capoeira, abalou

De uma mão quebro bolacha

Abalou, Capoeira, abalou

E com a outra bebo café

Abalou, Capoeira, abalou

De casamento eu não falei

Abalou, Capoeira, abalou

Mas fica quando Deus quiser

Abalou, Capoeira, abalou

Quem quiser moça bonita, vai pra ilha de Maré

Abalou, Capoeira, abalou

 

11. Chora viola

 

Chora viola, chora,

Chora viola

Chora

Chora viola

Chora

Viola chora

Chora

Viola violinha

Chora

Chora viola

Chora

 

12. Ai, ai, aidê

 

Ai, ai, aidê,

joga bonito que eu quero ver

Ai, ai, aidê

Joga bonito, que eu quero aprender

Ai, ai, aidê

Aidê, aidê, aidê, aidê,

Ai, ai, aidê

Era eu era você

Ai, ai, aidê

Joga bonito, que o povo quer ver

Ai, ai, aidê

Joga bonito, que eu quero entender

Ai, ai, aidê

 

13. Baraúna Caiu

 

Baraúna caiu, quanto mais eu, quanto mais eu, quanto mais eu

Baraúna caiu, quanto mais eu

Quanto mais eu, quanto mais eu

Baraúna caiu, quanto mais eu

 

14. Arrancado de lá

 

Na sua terra o negro era gente.
Mas foi arrancado de lá
Na sua terra o negro era forte
Mas foi arrancado de lá
Na sua terra o negro era bonito, era puro
Mas foi arrancado de lá
Na sua terra o negro era guerreiro
Mas foi arrancado de lá
Na sua terra o negro Rei.
Mas foi arrancado de lá
Aqui o negro é nada, agora o negro é pouco, humilhado, espancado, sua coragem em frangalhos.
Mas dorme no peito do negro, latente ódio, e um grito de liberdade.

Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Trago meu corpo cansado, coração amargurado, saudade, fazem dó
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Eu fui preso a traição, trazido na covardia,
e se fosse luta honesta, de lá ninguém me trazia,
Na pele eu troce a noite, na boca brilha o ar,
Trago a força e a magia presente dos orixás
Quando eu venho de Iluanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Iluanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Eu trago ardendo nas costas, o peso desta maldade,
Trago ecoando no peito, o grito de liberdade,
É grito de raça nobre, grito de raça guerreira,
É grito da raça negra, é grito de capoeira.
Quando eu venho de Iluanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Iluanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,
Quando eu venho de Luanda eu, não venho só,

15. Berimbau já fez chamada

 

Berimbau já fez chamada,

Já é hora de lutar

Quem não luta fica longe

E quem luta vai chegar

Oi Ogum que é santo forte

Capoeira pede sorte

Nessa dança de matar

 

He, he é de matar

He, he é de matar

 

Quando eu vou não sei se volto

E nem sei se chego lá

Posso passar numa rua

Um moço me provocar

Posso dobrar uma esquina

Ouvir berimbau tocar

Gosto muito do trabalho, patrão,

Mas tenho que parar

 

Hê, hê, tenho que parar

Hê, hê, tenho que parar

 


 


CÁNTICOS DE CAPOEIRA

 

16.

Vou contar minha história, ô Iaiá

com uma dor no coração

Vou contar minha história, ô Iaiá

com uma dor no coração

Um aluno falou de mim

Um aluno falou de mim, ô Iaiá

com uma grande ingratidão

Sei que tu fala de mim

Sei que tu fala de mim, ô Iaiá

sei que tu de mim falou

Que eu não jogo Capoeira

Que eu não jogo Capoeira, ô Iaiá

Que eu não sou bom professor

Mas tu vai sentir saudade

Mas tu vai sentir saudade, ô Iaiá

daquele que te ensinou

Sei que Judas traiu Cristo

Sei que Judas traiu Cristo, ô Iaiá

da traição não se salvou

Sei que tu fala de mim

Sei que tu fala de mim, ô Iaiá

mas eu sei é quem eu sou

Iê, viva meu Deus

Iê, viva meu Deus, camará

Iê sou mandingueiro

Iê sou mandingueiro, camará

Iê, dá volta ao mundo

Iê, dá volta ao mundo, camará

 

Olha pega esse nego

e derruba no chão

esse nego é valente

esse nego é o cão

Pega esse nego

e derruba no chão

esse nego é valente

esse nego é o cão

Pega esse nego

e derruba no chão

 

Oi, zum, zum, zum

Acabaram com o samba

e ainda mataram um

Oi, zum, zum, zum

Acabaram com o samba

e ainda mataram um

Oi, zum, zum, zum

 

Capoeira, Capu

Maculelê, Maracatu

Oi não é Karaté

nem também Kung-Fu

Maculelê, Maracatu

Mas eu fui na Bahia

comer caruru

Maculelê, Maracatu

Pra comer caruru

e não comer angu

Maculelê, Maracatu

Oi, meu filho quando nascer

vou perguntar prá parteira:

O que é que o meu filho vai ser?

O meu filho vai ser Capoeira!

Capoeira, Capu

Maculelê, Maracatu

Oi não é Karaté

nem também Kung-Fu

Maculelê, Maracatu

 

Ô beira-mar, auê, beira-mar

Beira-mar, auê, beira-mar

Beira-mar, auê, beira-mar

Beira-mar, auê, beira-mar

Oi o riacho que corre pro rio

é o rio que corre pro mar

E o mar é morada de peixe

eu quero ver quem vai jogar

na cordão de ouro

Oi beira-mar, auê, beira-mar

Beira-mar, auê, beira-mar

E minha mãe chama Maria

Moradeira de maré

E no meio de tanta Maria

minha mãe não sei quem é

mas quero saber

Oi beira-mar, auê, beira-mar

Beira-mar, auê, beira-mar

 

 

 

Ê, Capoeira

tu quer me matar

Ê, Capoeira

joga lá que eu jogo cá

Ê, Capoeira

tu quer me matar

Ê, Capoeira

joga lá que eu jogo cá

Ê, Capoeira tu quer me matar

Ê, Capoeira joga lá que eu jogo cá

Já joguei com Mestre Bimba

já lutei com Lampião

já joguei com Seu Besouro

e também com Riachão

Ê, Capoeira

tu quer me matar

Ê, Capoeira

joga lá que eu jogo cá

Aprendi a Capoeira

Angola e Regional

e depois vim prá São Paulo

A CAPOEIRA E MEU AMOR
voce que se lembra de mim
nunca vi voce tan soo
dame u amor dame o choro
minha reinha
 a capoeira e meu amor
le le le le leo
a capoeira e meu amor
le le le le leo 

 
   
 
=> ¿Desea una página web gratis? Pues, haz clic aquí! <=